sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Meu Diário Chamado C.

Me sinto sozinha e vazia, não é pra menos, me faltam pessoas para conversar, para sair....apenas uma companhia. Ainda mais agora que o que mais me falta é C., meu diário.
Lembro-me da alegria de acordar e poder relatar durante todo o dia o que ia acontecendo em minha volta. Não saía da minha mão. Pessoas enciumadas não entendiam minha ligação com C., mas agora esse elo se distanciou, um crime aconteceu !!!.
C. estava distraido e teve um pedaço de sí roubado, a caneta, ela que nos unia. Uma mão monstruosa, ordenada por uma mente maligna, raptou a caneta.
Não era uma caneta qualquer, ela sabia quando começou minha história com C. Havia escrito os mais íntimos segredos. C. e eu esperamos por encontrar outra caneta tão especial quanto aquela e enquanto isso não acontece nos vemos de relance, conversamos algumas coisas com um lápis qualquer, afinal não podemos esbanjar nossos segredos.
O lápis escreve e a borracha apaga para que nada seja descoberto...
Fonte da imagem : Pixabay
Postar um comentário